Construindo seu barco

Clique aqui para ouvir esse artigo

Abraham Lincoln disse uma vez:

"Vou me preparar e um dia minha chance chegará".

Quando sua chance chegou, ele estava realmente pronto para aproveitá-la ao máximo.


Oscar Shimidt, nosso grande nome do basquete dizia também uma frase muito impactante:

“Não acredito em sorte. Talento é quem faz”.

Oscar conquistou o apelido de mão santa e é considerado o maior pontuador do basquete mundial em 30 anos de carreira. Por opção nunca jogou na NBA (liga americana) e seu nome ficou imortalizado no basquete brasileiro.


Você pode estar pensando agora, ah mas ele era bom mesmo, porém eu digo a você que no início ele não era tão bom, ELE SE TORNOU BOM.


Oscar permanecia na quadra praticando arremessos livres horas e mais horas quando todos já haviam ido embora do treino. Ele conta que arremessava mil bolas por dia e que sua mulher ficava buscando as bolas para que o processo fosse mais produtivo.


Claro que depois de se preparar tanto, quando ele teve a primeira, a única primeira chance, ele obteve sucesso.


Agora pergunto a você:

Quando sua chance chegar, você estará pronto?


Entendo que estas histórias de esporte não acontecem com todos e sei também que algumas pessoas simplesmente conseguem chegar ao topo sem demonstrar, talvez, tanto esforço quando nosso amigo Oscar. Alguns parecem que já nascem com um talento diferenciado. Sim isto existe. Mas para a maioria de nós não.


Para a maioria de nós o sucesso só virá mediante a muita preparação e esforço.


Assim é a construção de uma casa de uma pessoa preparada. Quando o planejamento é feito, o construtor se prepara para ventos fortes, peso da estrutura, movimentos das pessoas dentro do local, mudanças futuras na estrutura da rua, como altura por exemplo. Se prepara para interligar-se à rede de esgoto, mesmo que a cidade ainda não tenha uma.


Quando eu era adolescente, morava em um bairro muito, muito simples, no qual as ruas ainda eram de terra e não tínhamos rede de esgoto ainda. Me lembro que para ir ao trabalho eu colocava uma sacola nos pés para que meus sapatos não ficassem sujos de poeira quando estava sol e de lama quando estava chovendo. Quando meu pai comprou este terreno e começou a construir a casa ainda havia poucas casas naquele bairro, algumas rentes ao chão.


Quando meu pai começou a construir (ele construiu sozinho), imaginou que aquelas ruas subiriam em função de calçamento futuro, aterramentos etc. então fez uma casa bem alta e tínhamos que subir 4 degraus para entrar nela. Muitos questionavam o motivo daquela fundação toda, uma vez que ali era um bairro pequeno e que não melhoraria tão cedo, mas meu pai dizia:

“Quando a rua subir minha casa não ficará abaixo do chão”.


Adivinhem o que aconteceu? O bairro cresceu, se estruturou, as ruas foram aterradas e ganharam quase 60 centímetros de altura entre aterros e asfaltos. Hoje a casa não é mais nossa, mas quando passamos pelo bairro podemos observar a casa totalmente adequada à nova realidade enquanto algumas ao redor ficaram bem mais baixas que a rua, sofrendo, inclusive riscos de alagamentos.


Precisamos aprender uma coisa importante:

Não importa o que me espera do outro lado do mar se eu não construí um barco.


Anos atrás eu trabalhava como assistente em uma empresa, era um trabalho comum com atividades comuns, eu me arrumava muito e minhas colegas, além de acharem que eu era “Caxias”, questionavam o porquê de eu investir em roupas e estar sempre arrumada, uma vez que era apenas uma auxiliar.


Eu dizia que eu estava sendo uma auxiliar naquele momento, mas que iria crescer e que não ficaria naquela posição. Eu queria mais, queria algo que me desse desafios e que pudesse contribuir com a empresa na qual trabalhava. Dizia também que se eu não me comportasse como aquilo que gostaria de ser nunca o seria.


Olhando para trás eu percebo que eu já não me encaixava naquele ambiente profissional, mas que eu precisava estar ali naquele momento para subir os degraus até chegar onde eu queria.


A busca da preparação precisa vir antes da oportunidade, pois se ela chegar antes não poderemos aproveitar por estarmos despreparados.


Anos atrás uma amiga me disse que adoraria mudar de carreira, trabalhar em algo diferente do que ela fazia. Eu perguntei a ela:

“O que você faria? O que você gostaria de entregar?

"Eu não sei. Eu sempre quis algo diferente do que ficar em um escritório o dia todo recebendo ordens, executando procedimentos pré-definidos e cuidando de papelada. "


Falei brevemente à ela sobre a necessidade de desenvolver conhecimentos em uma área pela qual ela é apaixonada e que não precisaria ficar preza à modelos convencionais.  Fui perguntando sobre o que ela era boa e após alguns minutos percebi que ela adorava fazer biscoitos caseiros. Ela realmente era boa nisso, mas achava que aquilo não a poderia sustentar.


Expliquei a ela que era preciso investir nesta habilidade, desenvolver uma embalagem bonita, pensar em um nome e começar com o primeiro pacote de biscoito, aliás grandes empresas começaram assim. Talvez antes de vender este primeiro pacote ela teria que oferecer vários biscoitos gratuitamente, mas que fazendo isto com a constância necessária, uma bela hora a mágica aconteceria. Seu telefone iria tocar e alguém faria a primeira compra.


Muito tempo após a nossa conversa, ela ainda não fez nada disso. Não acreditou que podia e não se preparou. Ela não provocou a oportunidade e, mais provavelmente, como ela não fez sua parte antes, sua chance provavelmente nunca virá.


Entenda: Não vai aparecer uma fada madrinha batendo em sua janela a noite e oferecendo uma oportunidade “do nada”, assim como não vai tocar o telefone no meio da sua novela com a pessoa dizendo que por algum motivo sente que seus biscoitos são gostosos.


Nada vai acontecer se você não provocar que aconteça.


Para chegar do outro lado do rio é preciso ter um barco.


A fada madrinha que você sonha pode estar lá do outro lado com a asa quebrada. Cabe a você buscá-la e deixar que a mágica aconteça em sua vida.


Costumo ouvir as pessoas dizerem: "Se eu tivesse uma chance". Talvez seja uma chance de uma nova posição, um desafio maior ou fazer algo diferente. Talvez estejam esperando uma chance de provar a si mesmos que podem realmente fazer a diferença.


Mas eu te pergunto: Se te oferecessem esse novo desafio hoje, estaria pronto para enfrentá-lo? Estaria preparado para aproveitar ao máximo esta oportunidade?


OPORTUNIDADES ACONTECEM O TEMPO INTEIRO.

Talvez o primeiro passo seja acreditar em si mesmo, acreditar que é possível e começar a agir como se já fosse realidade.


FAZER ISTO É SIMPLES:

Imagine onde deseja estar amanhã, olhe para aquela pessoa que já chegou lá e pergunte a ela o que ela teria feito hoje.


Seja lá o que o seu eu de amanhã estaria fazendo hoje? Faça agora!

Reinventar é preciso
Anterior

Reinventar é preciso

Deixe a revisão
Falando um pouco sobre as inquietações e dúvidas q...
Leia mais
A contaminação pelo amor
Próximo

A contaminação pelo amor

Deixe a revisão
A dificuldade de se espalhar o amor versus a facil...
Leia mais
Seja o primeiro a comentar
Construindo seu barco

Construindo seu barco

Deixe a revisão
Sobre tomar as rédeas da própria vida e se preparar para poder criar as opo...
Leia mais
Para onde estamos indo nesta vida

Para onde estamos indo nesta vida

Deixe a revisão
Reflexões de uma apaixonada pela vida, pelo sentir, pelo momento presente, ...
Leia mais
Reinventar é preciso

Reinventar é preciso

Deixe a revisão
Falando um pouco sobre as inquietações e dúvidas que, inevitavelmente, acom...
Leia mais
Empreender pode ser sua única saúda para a crise

Empreender pode ser sua única saúda para a crise

Deixe a revisão
Em todas as crises a única saída é o empreendedorismo. Independente de abri...
Leia mais
Minha lembrança da Pequena Alma

Minha lembrança da Pequena Alma

Deixe a revisão
A história que trago aqui hoje é linda, simples, singela e me fez chorar no...
Leia mais
Quando o corpo pede socorro!

Quando o corpo pede socorro!

Deixe a revisão
Entender os sinais do nosso corpo é fundamental para ter uma melhor qualida...
Leia mais
Deixe o rio correr para o mar

Deixe o rio correr para o mar

Deixe a revisão
Quando usamos as memórias de forma positiva funciona como refrigério e elas...
Leia mais
Estamos realmente ganhando a vida?

Estamos realmente ganhando a vida?

Deixe a revisão
Já parou para pensar sobre ganhar a vida? Será que o que aprendemos sobre ...
Leia mais
Nossos valores determinam nossas prioridades

Nossos valores determinam nossas prioridades

Deixe a revisão
Já parou para pensar em quais são seus valores? Eles certamente são a razão...
Leia mais